12 de outubro de 2015

Senhora | Resenha

  Senhora, José de Alencar

Antes de eu começar a falar sobre o enredo, se desprenda de todo preconceito que você já teve acerca de clássicos nacionais. Principalmente se todo o contato que você teve com eles foi através das leituras obrigatórias na escola. 

Temos tantos livros legais que não recebem a atenção devida! E ainda ganham fama negativa por causa dessa generalização, além de, vamos admitir, más escolhas de livros didáticos por parte de alguns professores.

Esses clássicos, porém, não tem um estereótipo definido. Mesmo que os temas se relacionem dependendo do momento histórico do autor, em meio a alguns exaustivos, você pode encontrar livros como Senhora, que vão te ganhar e acabar com qualquer vestígio de preconceito que você possa ter. 

  Senhora, José de Alencar

Através de uma narrativa em terceira pessoa, o autor nos apresenta um romance orgulhoso, no qual Aurélia procura se vingar de Seixas, um antigo amor que a deixara por não ter condições financeiras de lhe proporcionar uma vida razoável.

  Senhora, José de Alencar

Antes de conhecermos os dois, somos introduzidos aos pais da menina, que também viveram um romance conturbado quando mais jovens, porque a união deles, tal como a filha que tiveram, não foi reconhecida por suas famílias.

Como consequência, mas em nome do amor dos dois, a mãe de Aurélia precisou desistir de sua posição social, passando a viver em função de seu marido, mas este falecera após um tempo e deixara as duas com pouquíssimos meios para se sustentar, sozinhas e mal vistas.

A única coisa que mantinha a esperança da mãe de Aurélia em relação ao futuro da filha era sua beleza, que atraia os olhares de muitos cavalheiros. Contudo, o homem que a interessava, como expliquei anteriormente, não tinha condições de dar-lhe uma vida de luxo.
  Senhora, José de Alencar

Assim, apesar de Fernando Seixas amá-la, abre mão de Aurélia, deixando-a extremamente magoada, ainda mais porque o rapaz compromete-se com uma senhorita mais rica, mas não demora muito para uma reviravolta inverter os papéis.
Quando o avô de Aurélia morre e ela se torna sua única herdeira, ela decide magoar Seixas dessa vez e pede ajuda ao seu tio. Este oferece quinze contos de réis ao moço para que aceite se casar sem saber a identidade de sua noiva, o que, inicialmente, ele não aceita, mas diante de algumas dificuldades financeiras, volta atrás e se surpreende ao descobrir quem seria sua futura esposa.

Numa mistura de felicidade e descrença, não podia acreditar na sorte que tivera, mas essa foi apenas sua primeira impressão. Assim que selaram o compromisso, Aurélia mostrou a mágoa que ainda guardava, fazendo Seixas perceber que ela apenas o queria como um objeto. Ele nada podia fazer agora, a não se submeter à sua senhora. Ou será que podia? 
  Senhora, José de Alencar

Este é um romance histórico no sentido literal, porque não foi escrito recentemente, mas sim numa época realmente arcaica, o que só torna tudo ainda mais poético. Ambos os protagonistas são extremamente orgulhosos, mas torcemos por eles do início ao fim, na esperança de que eles tomem jeito e ponham o amor em primeiro lugar.

Com uma narrativa fluida e envolvente, recomendo muito a leitura desse livro. Aliás, dos livros desse autor. Desde Til, que li numa outra oportunidade, ele me ganhou e me deixou curiosa por outras de suas obras.
  Senhora, José de Alencar
ps. essa é a edição da Martin Claret de 2002, mas vejam a edição deles de 2012 aqui e desejem ela comigo.


     *Crédito das fotos para a Jen

Acompanhe o blog também pelo  instagram | facebook 


Escrito por: Lisete Reis


 

8 comentários:

  1. Que lindo.
    Eu conheço o livro (inclusive tenho uma edição super antiga que ganhei do meu avô) mas nunca parei pra saber sobre o que era.
    Adorei o enredo e me deu uma super vontade de ler.
    bj

    @saymybook
    saymybook.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Edições antigas são amor. Que feliz que consegui chamar sua atenção pra esse livro, Jess! Agora não tem desculpa pra ele continuar abandonado. :p
      Beijo

      Excluir
  2. Quase ninguém dá valor pra literatura nacional. Adorei o post! Estava pensando esses dias em fazer uma maratona com os livros que nunca li. Acho que é um sinal de que devo fazer mesmo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Dani. E o chato é que essa negligência faz muita gente perder a chance de ler livros ótimos. Espero postar mais dicas como essa depois. Obrigada!
      E que sejam legais os livros que escolheu para a futura maratona :)

      Excluir
  3. Liiiiis! Saudade <33
    Sua resenha também está linda, bateu até saudade do livro agora kkkkkk
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Naaaaati! Saudade <33
      Obrigada kkkkkkk sempre lembro de você quando vejo um clássico.
      Beijos!

      Excluir
  4. Amo muito esse livro. Já Li duas vezes é um romance lindo demais. Leiam que vale muito a pena.

    ResponderExcluir

Nos conta sua opinião. ♡ Assim que podemos, publicamos e respondemos todos os comentários.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

https://twitter.com/maccieirahttps://www.instagram.com/jennifermacieira/https://www.flickr.com/photos/113227884@N07/



https://www.instagram.com/lisete_reis/https://www.flickr.com/photos/153046504@N02/

Facebook

Instagram

Youtube

Parceria

Newsletter

Publicidade

Booking.com