17 de agosto de 2015

Resenha: Cartas de Amor aos Mortos - Ava Dellaira

  Cartas de Amor aos Mortos, Ava Dellaria

Tá aí uma história que foi mediana grande parte do tempo, mas me ganhou com o final. Acredito que isso seja até comum, mas, comigo, quase nunca acontece. Cartas de Amor aos Mortos trata da vida de Laurel, uma adolescente completamente insegura que está sofrendo a perda da irmã alguns meses atrás.

O livro começa quando uma das suas professoras passa uma atividade que consiste em escrever uma carta para alguém que morreu. Laurel não cumpre o dever, mas intimamente começa a redigir não uma, mas várias cartas destinadas aos seus maiores ídolos. Creio ser essa a parte do enredo que conquista a maioria dos leitores. 

  Cartas de Amor aos Mortos, Ava Dellaira

De fato, parece algo interessante a personagem dividir suas angústias e pensamentos com pessoas que possuem sua admiração mesmo depois da morte, e que tinham seus próprios problemas. Ela escreve para várias personalidades que tiveram um fim problemático e também que são lembradas pelo suicídio, como Kurt Cobain e Heath Ledger. Fora eles, também há Amy Winehouse e Janis Joplin. Esses são os citados na sinopse do livro e não quero estragar a descoberta dos outros.

Mesmo concordando que isso é um diferencial do livro, me senti um pouco entendiada com a conversa da Laurel com alguns de seus ídolos, isso porque devo confessar que não conhecia muitos deles. Por esse motivo, sempre que ela divagava sobre a vida de algum e sobre como eles tinham coisas em comum, ou não, eu ficava um pouco perdida e querendo adiantar logo. 

Cartas de Amor aos Mortos, Ava Dellaira
"É triste quando todo mundo sabe quem você é, mas ninguém te conhece."

  Cartas de Amor aos Mortos, Ava Dellaira

Bom, mas essa foi uma questão bem pessoal. O desenvolvimento da história foca mesmo no amadurecimento da Laurel e na superação dela perante tudo o que aconteceu. Ela e May, sua irmã, eram super próximas e por isso foi muito afetada. Durante todo o livro não fica claro o que de fato aconteceu, o que muda um pouco no final, mas mesmo assim algumas coisas ficaram soltas e exigem um pouquinho da interpretação de quem lê.

Cartas de Amor aos Mortos, Ava Dellaira
"(...) não somos transparentes. Se quisermos que alguém nos conheça, precisamos nos revelar a essa pessoa."

Cartas de Amor aos Mortos é um livro que vai fazer você querer marcar muitas passagens, mesmo quem não é o tipo de leitor que faz isso. Eu não sou, mas na foto acima dá para ter uma ideia que eu marquei algumas coisinhas, sim. E poderia ter marcado muito mais. 

O desenvolvimento do romance é paralelo ao da história, mas a imaturidade da Laurel nesse quesito me incomodou mais do que eu gostaria. Há personagens muito interessantes na história, como Tristan e o próprio pai da protagonista. Ele contribui muito para o livro, mas ainda gostaria de uma participação maior. Sky, o par da Laurel, foi meio tanto faz para mim. 

Cartas de Amor aos Mortos, Ava Dellaira
"Você sempre acha que conhece alguém, mas essa pessoa sempre muda, e você também está em transformação. De repente entendi que estar vivo é isso. Nossas próprias placas invisíveis se movem em nosso corpo, e se alinham à pessoa que vamos nos tornar."

Por fim, Cartas de Amor aos Mortos é um livro bonito, tanto no conteúdo quanto fisicamente. É interessante ver como May é superestimada pelos olhos da irmã caçula, que a colocava acima da perfeição, e como depois Laurel finalmente percebe que sua irmã era apenas mais uma adolescente com problemas, dúvidas e inseguranças. Exatamente como ela.

Eu recomendo! Ele saiu aqui pela editora Seguinte e tem um ritmo relativamente tranquilo de leitura.

  Cartas de Amor aos Mortos, Ava Dellaira




              Acompanhe o blog também pelo twitter | instagram | facebook | flickr ♥


Escrito por: Jennifer Macieira
Arquivado em


 

6 comentários:

  1. Oi Jen,
    Ja li esse livro e confesso que não achei grande coisa na época. O que eu mais gostei foram as cartas, não elas em si (ate porque eu pulava umas partes) mas sim a quem elas eram destinadas, sempre que tinha alguem que não conhecia eu ia pesquisar sobre avida toda da pessoa e de muitas eu gostei. Não gostava muito da personagem principal, achava algumas atitudes bem infantis mas no final eu meio que a entendi apesar de sentir um pouco de dó da história toda. Ah, tambem gostei das amigas delas. Enfim, é um livro legal mas achei meio sei lá kk.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Vitória! Eu concordo com seu comentário. Eu reconheço que esse livro de fato é um pouco superestimado, e quando terminei de ler concluí que é um livro bom, sim, mas não extraordinário. Também achei a Laurel infantil, mas eu não tive essa curiosidade de ir pesquisar sobre a vida dos ídolos dela :(
      Obrigada por comentar! Beijo

      Excluir
  2. Olá,
    Eu tenho esse livro aqui, mas não cheguei a ler ainda, entretanto gosto muito da premissa dele e estou esperando um tempo livre pra ler. Mas vou com menos expectativas, não costumo gostar de livros superstimados.
    Beijos.
    Memórias de Leitura - memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! Ler sem expectativas é a melhor coisa que você pode fazer pra gostar do livro, pelo menos foi o que aconteceu comigo e ajudou bastante.
      Beijos! :)

      Excluir
  3. Oiii! Gostei da sinopse, acho que vou dar uma chance, principalmente depois da resenha (muito bem feita, que orgulhinho! kkkkk) e a capa é tão fofinha <3 baci!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Obrigada!
      Dê uma chance sim, acho que você vai curtir :)
      Beijo!

      Excluir

Nos conta sua opinião. ♡ Assim que podemos, publicamos e respondemos todos os comentários.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

https://twitter.com/maccieirahttps://www.instagram.com/jennifermacieira/https://www.flickr.com/photos/113227884@N07/



https://www.instagram.com/lisete_reis/https://www.flickr.com/photos/153046504@N02/

Facebook

Instagram

Youtube

Newsletter

Publicidade

Booking.com