16 de abril de 2015

Resenha: Azul da Cor do Mar - Marina Carvalho

  Azul da Cor do Mar, Marina Carvalho

Que surpresa boa eu tive ao ler Azul da Cor do Mar. A escrita da Marina melhorou infinitamente de Simplesmente Ana até aqui. Com um romance mais consistente, nos trouxe uma história contemporânea de fácil identificação sem perder a oportunidade de, mais uma vez, encaixar características do nosso país, deixando o livro ainda mais familiar, com citações de artistas, músicas e gírias. 

  Azul da Cor do Mar, Marina Carvalho

Rafaela Vilas Boas é uma personagem decidida que está terminando seu curso de jornalismo e começa a estagiar na Folha de Minas graças ao reconhecimento de seu talento – e uma ajudinha da sua professora. Mas, logo na sua primeira entrevista, tem uma surpresa ao encontrar Bernardo, seu futuro colega de trabalho, nada satisfeito com sua chegada. 

  Azul da Cor do Mar, Marina Carvalho

  Azul da Cor do Mar, Marina Carvalho

Por ter que dividir seu tempo e espaço no jornal com uma estagiária, seu comportamento é bem ofensivo a princípio, mas Rafa, como uma boa protagonista, coloca ele em seu lugar durante o livro todo. Os dois participam de diálogos inteligentes, tornando a leitura divertida muitas vezes.

Claro que vocês devem imaginar aonde esse ódio todo vai levar os dois, mas, enquanto eles não percebem o que está diante de seus narizes, o livro nos leva para outros caminhos envolventes, como a dinâmica que acontece no jornal em que eles trabalham. 

Acho que me interessei pela rotina de lá por gostar muito dessa área e ainda mais porque a editoria em que a Rafa e o Bernardo trabalhavam era de investigação, então os casos em que eles trabalhavam acabavam por nos envolver. Também me diverti e acabei me identificando com a vida de irmã caçula da Rafa. Seus irmãos sempre a atormentando, mas se preocupando, é uma situação bem familiar, além de suas amigas Alice e Sofia, por perto sempre que possível.

  Azul da Cor do Mar, Marina Carvalho

  Azul da Cor do Mar, Marina Carvalho

Vocês já devem ter percebido que eu gostei bastante da protagonista, mas preciso comentar algo que não me desceu: sua paixão platônica pelo garoto. Antes que vocês tirem conclusões precipitadas, ele é um menino que usava uma mochila xadrez, o qual Rafa só viu durante suas férias em Iriri aos 11 anos e não sabe nem o nome – daí o motivo dela o chamar de garoto

Ela acabou ficando meio fixada por esse menino, mesmo sem nunca ter falado com ele, e agora, mais de dez anos depois, continua escrevendo sobre ele, o que me deixou mega frustrada. 

  Azul da Cor do Mar, Marina Carvalho

Até entenderia se eles fossem muito próximos quando crianças, mas não consegui enxergar nada que, de fato, justificasse essa paixão, ainda mais agora que ela estava com mais de 20 anos, entendem? Achei até que prejudicou o fim da história, mas o livro é legal mesmo assim, fica bem perceptível o quanto a autora está evoluindo e espero me surpreender ainda mais no futuro. 

  Azul da Cor do Mar, Marina Carvalho

  Azul da Cor do Mar, Marina Carvalho
*Crédito das fotos para a Jen

Outro título da autora já resenhado:


                        Acompanhe o blog também pelo twitter | facebook | instagram | flickr <3


Escrito por: Lisete Reis


 

16 comentários:

  1. Oi. Li esse livro há muito tempo, logo quando lançou, só ficava cantando a música do Tim Maia na época, e agora lembrei da danada novamente...
    Sobre paixões e relacionamentos, não gosto de 'normatizar', pois sei que não existe regras ou mesmo padrões para isso... Quando tinha 15 anos, até acreditava nessas tais normatizações sociais, mas hoje, com o tanto de coisa que fiz e sei que ainda vou fazer... não dá!
    http://www.poesianaalma.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lilian! A letra da música remete mesmo ao título do livro, hahaha. Também acho que, se tratando de amor, a lógica não pode ser aplicada sempre, mas, como eu expliquei na resenha, não pude deixar de me frustrar com o fato da protagonista alimentar uma paixão platônica por 10 anos, ainda mais por um menino que ela não sabe nada sobre, nunca falou e só viu uma vez, sabe?

      Excluir
  2. Olá!

    Já tinha visto esse livro nas livrarias, mas não tive muita curiosidade em ler o livro. Mas, pela resenha, percebi que o livro merece uma certa atenção e parece ser uma boa obra. Vou pesquisar mais resenhas, mas o livro me atraiu muito.

    http://loucurasaovento.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Juliana! Que bom que você se animou, o livro é muito bom.
      Vale a pena pesquisar um pouco mais e se arriscar. <3

      Excluir
  3. Já havia visto esse livro na casa de uma amiga de São Paulo, e lembro-o ter me apaixonado por essa capa... Sério, eu não sou de ficar elogiando capa pois são poucas que me agradam rs... Mas essa... Caracas, definitivamente ganhou! kkkkk


    Agora #partiu para procurar mais resenhas e fazer uma cotação de preços para poder compra-lo KKKKK E quem sabe não ser um dos lidos do mes de maio ou junho?! <3

    Obrigada pela dica e adorei a resenha, as fotos de suas resenhas são lindas (preciso de umas diquinhas para tanta perfeição) ♥

    Bjs, Bea.
    ahoradocafeliterario

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Menina, não é que eu esqueci de elogiar a capa do livro no post? <3 <3 <3 Ela realmente ficou lindona, sou apaixonada por essa, a de Simplesmente Ana e a do novo livro da autora, Elena: A Filha da Princesa! Fico até um pouco revoltada de lembrar o que fizeram com De Repente Ana, totalmente destoante das outras no quesito beleza! Mas enfim, hahahaha. Sobre as fotos, aposto que a Jen deve estar pulando na cadeira com os elogios! :) Foi ela que tirou as desse post - e a maioria das fotos do blog, na verdade. Eu me arrisco de vez em quando, mas, err... ela também tá me devendo essas diquinhas! Vou cobrar um post sobre isso. :)
      Beijo!

      Excluir
  4. Não sei se leria a história de Rafaela, não por ser ruim mas sim por não gostar deste gênero, mas com certeza percebo que o enredo foi bem construído e vai agradar os leitores, parabéns pela resenha.

    Abraço,
    Diego de França
    http://www.leitorsagaz.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sempre tem um estilo literário que a gente não se identifica muito, né? No meu caso é a ficção científica. Ultimamente, tenho torcido o nariz pra distopias e fantasias também, mas, assim como você, reconheço o talento dos autores. Que bom que gostou da resenha, Diego. :)

      Excluir
  5. Oi Li!
    Minha amiga leu essa obra da autora e pirou disse que eu ia amar pra mim largar tudo e ler, ainda não consegui comprar esse bonito, mas estou cada vez mais curiosa!
    Eu li o Simplesmente Ana dela e gostei muito, achei leve e divertida a obra e muito gostosa! Parabéns pela resenha flor! Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Paula! Aconteceu assim comigo também! A Jen me deu ele de presente de aniversário pra você ter uma noção da recomendação, hahaha. Ela e mais duas amigas adoraram e a dica chegou até a mim (ainda bem!). Achei bem melhor que Simplesmente Ana, então acredito que você vá adorar. <3 E obrigada!
      Beijos!

      Excluir
  6. Olá!
    Eu ainda não li nenhuma livro da Mariana. Mas sempre falam muito bem das histórias dela.
    Beijinhos!
    http://eraumavezolivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Suelen! Não me leve a mal, mas da Mariana também não li nenhum, já da Marina... Hehehehe. Essas autoras nacionais estão ficando bem faladas entre os leitores mesmo. Beijo! :)

      Excluir
  7. Olá.
    Tudo bom?
    Eu já li esse livro e adorei, mas tenho que concordar com você, é meio sem lógica essa fixação dela no garoto de mochila xadrez. hehehe
    Amei sua resenha.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Michelle, que bom que gostou! <3 O livro é tão bonzinho que a gente releva o tal garoto, mas não faz muito sentido, né? Quero ver outros livros dela pra sentir a evolução. Beijo! :)

      Excluir
  8. Oi Lis,
    Ja ouvi falar desse livro antes mas não cheguei a ler resenha nem a sinopse, logo de cara gostei pela capa, o título e por se nacional! Fico muito feliz em ver os autores nacionais ganhando esse espaço. Sobre a história eu não tinha a minima ideia sobre o que se tratava mas gostei, achei bem interessante.
    Adorei a resenha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Vitória. :)
      É tão bom juntar uma imagem linda a um conteúdo que faça jus, né? Eu achei esse livro da Marina um casamento perfeito das duas coisas, tirando aqueles detalhesinhos que mencionei. E sim! A literatura nacional está crescendo por aqui. É lindo presenciar e contribuir para isso, espero que você confira Azul da Cor do Mar e mantenha sua opinião inicial. <3 Fico feliz que gostou da resenha, obrigada!

      Excluir

Nos conta sua opinião. ♡ Assim que podemos, publicamos e respondemos todos os comentários.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

https://twitter.com/maccieirahttps://www.instagram.com/jennifermacieira/https://www.flickr.com/photos/113227884@N07/



https://www.instagram.com/lisete_reis/https://www.flickr.com/photos/153046504@N02/

Facebook

Instagram

Youtube

Parceria

Newsletter

Publicidade

Booking.com